1979 propõe curadoria e criatividade em projetos de áudio

Empresa funciona em regime de Collab para apresentar soluções no universo sonoro

Chega ao mercado a 1979, um Collab de criatividade e curadoria sonora comandado pelos sócios Pity Lieutaud, Rosana Souza e Alan Terpins. A empresa vai reunir músicos, produtores, criativos e outros profissionais do setor de áudio com o objetivo de criar soluções sonoras para conteúdos publicitários, corporativos ou culturais.

A empresa surgiu a partir de um desejo dos sócios de pensar o áudio de uma forma mais inovadora, atrativa e sem amarras no processo de criação. "A ideia de começar um novo negócio neste setor veio da possibilidade de transitar em projetos que exijam mais leveza e flexibilidade na criação", destaca Pity Lieutaud, sócia e diretora executiva. Ela tem passagens pela Raw Audio, Young & Rubicam e Conspiração Filmes.

Trabalhando em regime de Collab, a 1979 vai oferecer aos seus clientes uma equipe multidisciplinar para cada projeto. A ideia é unir pessoas com habilidades diversas, compondo um núcleo de criação para cada demanda. Os colaboradores podem ser produtores, compositores, técnicos de som, artistas e sound thinkers. Entre os nomes já confirmados do time estão Lucas Mayer (produtor), Fabio Góes (músico), Edu Luke (músico).

Rosana Souza, produtora executiva e sócia; e Pity Lieutaud, diretora executiva e sócia. 

Com estrutura profissional e compartilhando dos mesmos espaços e equipamentos da produtora A Voz do Brasil, a 1979 está pronta para se envolver em parcerias para a execução de projetos musicais de diferentes formatos e tamanhos. "Uma das nossas vantagens é que os trabalhos podem ser feitos em regime de coprodução com outras agências, produtoras e empresas do setor", ressalta Rosana Souza, sócia e produtora executiva da 1979.

Alan Terpins atualmente mantém um escritório em Los Angeles (EUA) e sua presença no exterior facilitará o intercâmbio entre músicos e produtores brasileiros e internacionais. Neste primeiro momento, a 1979 quer oferecer ao mercado americano sua inteligência musical e talentos nacionais.

Nos próximos dias a 1979 deve anunciar a contratação de um profissional para liderar a área de Criação. Além de colaborar com ideias, ele terá o papel de ser um facilitador no diálogo entre Collabs, agências e marcas.

Entre os primeiros trabalhos da 1979, está a sonorização de uma rede de varejo. O projeto consiste em pensar um ambiente sonoro para cada linha de produto, com curadoria que tenha conexão com os produtos nos espaços das lojas. A empresa também está atuando em um trabalho para o Greenpeace Brasil, que tem o objetivo de alertar sobre os impactos ambientais e sociais que a construção de uma usina hidrelétrica no Rio Tapajós pode causar. A pesquisa musical inclui uma curadoria na busca de sons e composições que destacam a importância da água, para dar mais sentido e legitimidade à campanha. 

Redação Adnews

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Post anterior

AlmapBBDO fatura o prêmio Melhor Comercial do Brasil 2015

Próximo post

‘Tamo Junto’ é novo posicionamento da Tribuna

Posts Relacionados