Pedro Só é o novo editor-chefe do Reverb, vertical de música resultado da parceria da Webedia com o Rock in Rio, lançado em agosto do ano passado. O jornalista traz para o site larga experiência como redator-chefe de veículos especializados em música, como Billboard e Bizz; além de passagens como repórter, crítico e editor na área de Cultura dos três principais jornais do Rio de Janeiro. Também atuou como editor-executivo do Globoesporte.com por seis anos e participou, na Editora Abril, de projetos pioneiros na internet, como Usina do Som, primeiro serviço de streaming no Brasil. Seu currículo traz ainda trabalhos como roteirista de documentários e, nos dois últimos anos, manteve coluna como comentarista de música do Sistema Globo de Rádio.

No Reverb, Pedro Só terá como responsabilidades a curadoria, coordenação do time editorial de mais de dez pessoas, identificação de oportunidades editoriais e produção de conteúdo, além de participar da criação de projetos de branded content. “Fazer jornalismo musical é um privilégio e a forma inovadora como o Reverb trabalha o universo da música é um dos desafios mais fascinantes da minha carreira”, afirma.

Nos seis primeiros meses no ar, o Reverb conquistou mais de 2 milhões de visitas mensais com a apresentação de entrevistas, playlists e conteúdo audiovisual inspirador, incluindo documentário original com mais de 200 mil visualizações, sempre tendo música como fio condutor. “O Brasil é o primeiro mercado no qual a Webedia aposta em um projeto tão ambicioso dentro do tema música, uma das grandes paixões em todo mundo, junto com cinema, culinária, games e glamour. A parceria com o Rock in Rio nos dá a certeza de podermos apresentar os melhores conteúdos na internet brasileira”, afirma Rafael Rosa, diretor da Webedia Trends, unidade de negócios da Webedia que engloba também o Hypeness.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald