Coé, rapaziada! O que Cannes diz sobre as novas gerações?

Por mais que possa ser um clichê dizer que nos últimos tempos a tecnologia mudou totalmente a maneira como as pessoas vivem, consomem mídia e compram produtos. Não se esforçar para entender todas as mudanças que aconteceram e que ainda estão por vir, sobretudo o comportamento do público jovem, pode ser um enorme tiro no pé. As marcas, anunciantes e outras empresas que fazem parte do ecossistema de comunicação e que estão no Cannes Lions 2017 sabem disso.

Seja através das premiações ou das tradicionais conferências, vários foram os momentos, até agora, em que a comunicação para esse target rendeu análises e debates. Kevin Alloca, diretor de cultura e tendências do Youtube, por exemplo, disse em seu painel que o ponto mais importante desta nova maneira de se relacionar e engajar essa audiência mais jovem é o olhar atento para o que está sendo discutido, já que o público que ser ouvido consultado e mais que isso: já se acostumou com a nova ordem da comunicação, pautada pela horizontalização das relações entre pessoas, marcas, empresas e outras entidades.  

“No Youtube a criatividade é fruto da interação com o público. E temos a possibilidade de falar com ele. As discussões em torno de um vídeo podem ser o centro de atenção, mais do que o próprio vídeo. É preciso ouvir seu público e assim saber o que lhe interessa. Não à toa, vários artistas estão se inspirando nos amadores do Youtube. E as tendências da plataforma também estão sendo expandidas para outras mídias”, comentou Alloca.

O assunto é tão urgente e relevante para toda a indústria de comunicação, que o youtuber Casey Neistat também subiu a um dos palcos de conferência do Palais para falar sobre os desafios da CNN para se aproximar de uma audiência importante, dominada hoje por outras plataformas: os millennials. No final do ano passado o canal de notícias comprou o app de compartilhamento de vídeos Beme, criado em 2015 por Casey. Portando seu skate na Riviera Francesa, o youtuber contou que a CNN se prepara para lançar o projeto Skunkworks, uma resposta a plataformas como BuzzFeedNews e Vice News, que atingem em cheio a esse público jovem. “Notícias significam coisas diferentes para um monte de gente”, afirmou.

Quer mais uma evidência sobre a força do público jovem? O Snapchat, uma das marcas mais queridas por esse target, criou a ativação mais comentada do evento por enquanto: uma roda gigante de frente ao Palais. A foto da instalação já virou praticamente um clássico desta edição. Antes de embarcar no "brinquedo", quem está no Cannes Lions ainda pode comprar os óculos da marca por meio de uma vending machine.

Quando o assunto é case, seguindo essa linha de comunicação assertiva com o público jovem, o trabalho que mais chamou a atenção até agora no festival, e que já rendeu diversos Leões nas mais variadas categorias, é a campanha Like My Addiction, criada pela BETC Paris para a organização Addict Aide.

A ação viralizou um perfil fake de uma jovem francesa de nome Louise Delage, uma mulher bonita, viajando e sempre com alguma bebida em suas mãos. Rapidamente ela alcançou dezenas de milhares de seguidores, que acreditavam acompanhar seus passos pelo mundo. Durante os dois meses que a conta se manteve ativa ninguém comentou sobre ela sempre estar agarrada a algum drink, ao contrário, o que ela ganhou foram milhares de curtidas e compartilhamentos relacionados ao seu estilo de vida. E nada mudaria caso o real motivo de suas 150 postagens não viesse à tona: uma campanha brilhantemente arquitetada para falar sobre o alcoolismo. Confira:

Like my addiction

Uma publicação compartilhada por Louise Delage (@louise.delage) em

A conclusão é que ninguém sabe para onde o futuro nos leva, mas também não é capaz de duvidar que as mudanças comportamentais têm a atitude dos jovens como carro-chefe. Entender para onde eles vão, o que querem, como se comunicam e como consomem mídia e produtos é um dos grandes desafios da comunicação nos dias de hoje.

Redação Adnews

Deixe seu comentário: