ADFestivals AdStars

Direto de Busan: “É necessário se conectar com experiências que realmente importem”

dsfsd

Criada na década de 1970, a Cheil é a maior agência da Coréia do Sul e uma das 20  maiores do mundo. Pertencente ao grupo Samsung, a companhia global de comunicação também tem contas regionais importantes como a da Coca-Cola e da ESPN, por exemplo.

Tida como uma das principais apresentações do Ad Stars, o festival de criatividade que mais cresce na Ásia, a palestra de Jeongkeun Yoo, presidente e CEO da agência coreana, encheu o salão principal do evento.

Consciente do cenário atual, o executivo falou sobre estratégias de marca na idade da vida compartilhada. “80% dos publicitários perderam o emprego em 2015, mas o segmento continua a crescer. Só em nosso pais, ele movimento 55 bilhões por ano. Há alguns anos, éramos a 15º maior empresa de criatividade do mundo, hoje somos a 19ª. Isso demonstra que as coisas se alteraram”, afirma o empresário.

Uma mudança real começou

“Recentemente, consultorias como a Accenture, PwC, Delloite e a Cognizant, subiram no ranking. São novos players que entenderam que as iniciativas estão na mão dos consumidores e alteraram a forma de pensar o marketing. Para nós não perdermos a relevância temos nos posicionar diante desta nova forma da sociedade se organizar”, declara o CEO.

Em uma realidade em que as grandes marcas não têm mais controle sobre os indivíduos que se organizam em grupo onde eles expõem suas particularidades, o jogo se transformou e quem controla as marcas hoje são os consumidores.

“Temos que desenhar nossas campanhas pensadas na era em que a vida é compartilhada por plataformas digitais e a experiência é ainda mais importante. É necessário se conectar com diversos aspectos da vida do usuário para ele não desviar a atenção para outro conteúdo ou pular o seu anúncio”, comenta Jeongkeun.

Campanhas pensada para a nova geração

“Atualmente, o mesmo filme para uma audiência massiva não surte efeito. Os espectadores não querem mais só escolher o final da história, mas o começo e o meio. Por isso, pensamos nessa campanha para o Galaxy S8”, disse o executivo. Confira abaixo o vídeo-case:

“Outro exemplo de uma bem conduzida comunicação com a nova geração é o reposicionamento da Gucci. Tida como uma marca distante da vida da maioria, a casa de moda se reiventou ao se aproximas com os millennials. Com cores mais fortes, edições limitadas, acessórios improváveis e investimento em influenciadores, a Gucci é hoje uma das empresas de alta costura mais lucrativas do mundo”, afirma.

Por fim, o homem à frente da maior agência da Córeia reforça que o mais importante “é necessário criar experiências que realmente se conectem e façam sentido na vida das pessoas de um mudo que aproxima a marca dos consumidores provenientes de um mundo onde tudo é conectado”.

Deixe seu comentário: