#LadoB: 9 coisas que você não sabe sobre a premiada campanha #OscarNaNBA

Oscar

Criada pela Africa para Budweiser e ESPN, a ação #OscarNaNBA ou “The Debut”, como ficou conhecida internacionalmente, emocionou não apenas o público como também os jurados do Cannes Lions 2017, onde ganhou cinco Leões, incluindo Ouro em Cyber. Para quem não se lembra, a campanha resgata a trajetória do maior jogador da história do basquete brasileiro, Oscar, que apesar de ter sido selecionado no draft de 1984, o mesmo de Michael Jordan, optou por seguir jogando pela Seleção Brasileira, já que não era permitido jogar simultaneamente pela liga e pelo país, conforme regulamento da época.

Ele foi autêntico, escolheu fazer do seu jeito e se tornou um dos maiores jogadores de basquete do planeta, recordista mundial de pontos e membro do Hall da Fama. De quebra, ganhou neste ano uma grande homenagem da NBA, se tornando o primeiro ex-jogador que nunca atou na liga a participar do All-Star Celebrity Game. Abaixo você confere nove curiosidades inéditas reveladas pela agência Africa sobre um dos mais premiados trabalhos da propaganda brasileira de 2017. Vale a pena conferir:

1 - Oscar chorou quando viu o vídeo com a proposta do projeto; 

2 - Aprovação recorde: tanto a ESPN quanto a Budweiser aprovaram a ideia porque se apaixonaram na hora, pois além de ter um grande potencial de repercussão, a homenagem tinha total adequação aos posicionamentos das duas marcas: Feita do seu jeito / This Buds for you (Budweiser); Tudo pelo esporte (ESPN).  

3 - Teaser real: Oscar realmente acertou seis bolas de três pontos seguidas, mas precisou de varias tentativas até conseguir, pois estava há anos sem treinar;

4 - Liberação da Fox Sports: apesar do contrato, a Fox viu a grande homenagem que íamos fazer e liberou sem problemas a ação;

5 - Treinos por conta própria: quando soube da ideia, Oscar comprou uma rede de cesta e instalou ele mesmo no condomínio que mora para voltar aos treinos;

6 - Durante os treinos, Oscar praticou seus arremessos em duas posições específicas na quadra. Na hora do jogo, as duas bolas que recebeu foram totalmente fora das posições treinadas. E ele acertou mesmo assim;

7 - Depois que a criação contou a ideia, as dúvidas que vieram foram: “O Oscar esta bem de saúde? E de forma física? Ele toparia jogar?”. Ligamos para a mulher dele sem falar do projeto ou do que se tratava. Falamos pouco, apenas que seria uma “ação” sem falar de quem/como/quando nada... E perguntamos se ele jogaria. A reposta do Oscar, que sem saber muito do que se tratava, já foi extremante positiva… Nos deu a sensação de que estávamos no caminho certo! Depois disso, passamos para as aprovações de ESPN e NBA Brasil e ESPN e NBA global e claro foi só alegria;

8 - Iniciamos a produção do projeto em outubro de 2016 e o jogo, o DIA-D, foi em 17 de fevereiro de 2017. Foi um projeto enorme entregue em tempo recorde (pouco mais de três meses). Foi também um trabalho com articulações internacionais, mais de 300 pessoas envolvidas de diferentes instituições e muito treino do nosso “mão santa”;

9 - Para somar com esses recordes todos, ainda falamos com o Brooklyn Nets que topou homenagear o Oscar na Arena deles antes de um jogo. O Oscar Schmidt foi o primeiro jogador que foi homenageado por um time, o qual recusou jogar. Claro que pela atitude honrosa em ter escolhido naquele momento representar o seu país, o Brooklyn Nets entende o valor disso;

Deixe seu comentário: