"Quero disputar clientes com a Globo", diz ex-Espalhe

Wagner Martins, conhecido também como Mr. Manson, está lançando uma nova agência, a 301.yt. O Adnews conversou com o ex-Espalhe para saber quais os objetivos de sua nova empreitada.

Entre outras declarações, Martins, que já fez muita gente dar risada com o blog Cocadaboa.com e ficou famoso pelas trolladas, explicou os objetivos da nova empresa e para quem ela se destina.

Confira a entrevista na íntegra:

1 - Wagner, qual o objetivo da 301.yt e para quem ela é destinada?

Criamos novos formatos de vídeos na internet. Novos mesmo. Não é só uma questão de inovar no conteúdo, mas na forma de produzir. Não são ideias que possam ir para TV, são coisas que são nativas da web. Temos um canal experimental onde os programas serão gravados 100% via troca de vídeos no Whatsapp, por exemplo. A TV é algo pensado em uma realidade onde as ferramentas de produção de vídeo eram para poucos. Hoje, um garoto de 12 anos cria um canal onde o "programa" é a tela de computador dele capturada, mostrando ele jogando Minecraft. É nesse tipo de inovação que estamos interessados. Agora que milhões estão com estas ferramentas na mão que a linguagem em vídeo será de fato inventada.

Com essa mentalidade servimos a qualquer interesse. A começar pelo interesse próprio. Se temos uma ideia de formato que gostamos, lançamos por conta própria. Mas acreditamos que somos uma excelente alternativa para atender interesses de marcas e também de veículos que queiram se adequar a esta nova realidade. Vídeo é a melhor forma de empacotar uma mensagem, fazer ela circular pela rede sem perder o contexto e monitorar sua performance.

2 - O nome da agência é inspirado nos 301 views daqueles vídeos super bombados, certo? Então a 301 será a agência que vai viralizar tudo?

Na verdade, os 301 views não são para vídeos super bombados. Trata-se de uma linha de corte aplicada pelo YouTube. Eles só migram um vídeo para um contador de visualizações mais completo quando ele ultrapassa essa barreira (e 99% dos vídeos não ultrapassam). Assim ele não precisa de um recurso mais complexo para "auditar"  os milhares de vídeos que são enviados para a plataforma a cada segundo porque muitos deles terão poucos views.

Abomino a palavra "viralizar". Fazemos conteúdo e entregamos ele para a audiência certa. Se formos competentes, as visualizações aparecem. E não temos a pretensão de chegar em 10 milhões de views, mas sim de experimentar muito. O sucesso vem da tentativa e erro, em apostas de baixo comprometimento. Não vamos fazer o cliente apostar todas as suas fichas em algo que promete ser um sucesso, demanda um grande gasto com mídia e muitas vezes vira um mico.

3 - Você só vai ganhar dinheiro se o vídeo der certo. E se não der?

Se não der, não ganhamos nada e partimos para a próxima ideia. Assim o cliente entende que o segredo do sucesso não está no contador de views, mas sim na capacidade de experimentar, avaliar e evoluir o que foi testado.

4 - Tem um bocado de gente que critica o modelo de remuneração das agências no Brasil. Acha que receber pelo sucesso pode ser uma das saídas? Principalmente quando a mídia é a internet?

Não sei se é a saída, mas acredito ser o mais honesto. E sonho que a honestidade prevalecerá no futuro, quando a internet ultrapassar a TV em distribuição de conteúdo em vídeo. O Analytics do YouTube é muito mais transparente do que a caixinha preta do IBOPE. Ops, desculpa! Nunca vi uma, então nem posso afirmar se é preta.

5 - Será que a 301 vai disputar cliente com a Espalhe?

Sem querer soar megalomaníaco, já soando (quem conhece o meu jeito perdoará a bravata): Quero disputar clientes com a Globo.

6 - Já que a Espalhe entrou no assunto, o que tem achado do trabalho da sua ex-agência?

Estou afastado desde abril do ano passado, então nem tenho acompanhado muito o que está rolando. Mas achei a ação que fizeram para a Brazuca (Adidas) excelente (veja aqui). Tenho muitos amigos lá e ainda admiro muito o trabalho da Espalhe. Só não continuei empreendendo lá porque sentia que era a hora de fazer algo diferente e que esteja mais alinhado com as minhas crenças pessoais, que são bem desalinhadas com o pensamento de um CFO de um grande grupo de comunicação.

7 - Existe algo que não foi comentado que você queira ressaltar?

Só queria agradecer o apoio dos amigos que somei neste 14 anos fazendo coisas na Internet. Eles foram decisivos na construção da 301 e quero eles bem perto. Meu objetivo é reunir todos como meus sócios. Para isso a 301 está sendo constituída como uma S/A de capital fechado. Assim eu vou me cercar de pessoais mais competentes do que eu. E talento se conquista com ações, não com salário.

8 – Ah, e o Cocadaboa? Quando volta?

 Ele está no meio de nós.

Por Leonardo Araujo

Deixe seu comentário: