Cinco tendências para o digital marketing em 2015

O ano de 2015 será repleto de mudanças e discussões que ditarão a nova realidade do mercado de marketing digital. A AUNICA, empresa brasileira de consultoria estratégica de serviços especializados para performance e análises de canais digitais, elaborou uma lista com as tendências que deverão perpetuar nas estratégias dos anunciantes e agências.

De acordo com Elcio Santos, sócio-diretor de negócios da AUNICA, há cinco principais pontos que serão imprescindíveis no próximo ano: Data Driven Market, Mídia Programática, Content Delivery, a Internet Das Coisas e Pessoas. "Acreditamos que a disciplina Dados vai ser o grande diferencial entre as empresas que vão liderar o cenário digital daquelas que serão as eternas seguidoras de tendências. Além disso, as empresas que não olharem com a devida atenção para a capacitação de suas equipes podem perder grandes oportunidades".

Cinco tópicos apontados pela Aunica:

Data Driven Market 

O desafio será transformar os dados em informações cada vez mais integradas e acionáveis. Desta forma será possível transformar uma grande quantidade de dados (Big data) em informações inteligentes, distribuídas em tempo real aos consumidores e de maneira absolutamente relevante independente do ponto de contato em que sua marca for acionada (Smart data).

Conectar, entende e agir com base nas informações vindas da web, mobile, social, call center, e etc, utilizando plataformas analíticas, será crucial na busca pela maior porção do share of hart do consumidor, que está cada vez mais conectado e interconectado. Disciplinas como o digital CRM, terão um papel importante tanto na otimização dos processos, quanto na melhor aplicação dos investimentos, possibilitando estabelecer um relacionamento ainda mais rentável com os clientes fiéis além de trazer novos consumidores de maneira mais eficaz. Fortalecer o posicionamento das marcas, construir o conceito de relevância e fidelizar clientes, serão estratégias vencedoras para aumentar o retorno sobre os investimentos.

Internet das Coisas 

A internet das coisas, ou em inglês Internet of Things (IOT), é um mercado novo e extremamente valioso, potencialmente na casa do trilhão de dólares. Muitas empresas estão se preparando para surfar esta nuvem, em bom trocadilho. Google, Apple, Oracle e outras, estão se posicionando rapidamente neste mercado, onde será desenvolvido uma infinidade de gadgets inteligentes, como carros, casas, escovas de dentes, garfos e óculos, todos conectados em nuvem, para facilitar a vida das pessoas. Este novo mercado gerará inúmeras oportunidade para empresas de vários setores como infraestrutura, segurança digital e business analytics.

Porém, vai depender essencialmente do posicionamento estratégico das marcas, para aproveitar esta grande oportunidade desenvolvendo serviços que agreguem valor a vida das pessoas, uma vez que estes consumidores estarão sempre conectados. Entender qual a melhor hora, oferta e lugar para conversar com estes consumidores possibilita, por exemplo, utilizar conceitos como o de geolocalização para fazer uma oferta personalizada cada vez que eles passarem em frente uma loja física. Para isso, deve-se levar em conta a visão integrada sobre os rastros de informações deixadas por estes mesmos consumidores nos sites, nos aplicativos ou no call center das empresas.

Mídia Programática 

O mercado publicitário de mídia está em uma profunda transformação e tem buscado entender e agir rapidamente para atender às novas necessidades do mercado e características dos consumidores. Para ter uma ideia do crescimento previsto, a compra de mídia programática representará U$59 bilhões até 2019.

A compra de mídia deixará de ser feita no famoso estilo tradicional e passa a ter sua estratégia focada na compra da audiência correta, nos canais certos e no momento mais adequando para o consumidor. Para se comunicar com uma audiência cada vez mais volátil e, em tempo real, os anunciantes tem a oportunidade de conversar por meio de vídeo, rich media, display e até mesmo com banner segmentado dentro de e-mail marketing, sendo este último, uma tendência que cresce aceleradamente nos EUA e já presente no mercado brasileiro desde o 1º semestre de 2014.

Content Delivery

Outra enorme oportunidade será a capacidade que as marcas terão de entregar conteúdos adequados para consumidores altamente granularizados. A figura de um WCM (web content management) integrado à ferramentas analíticas, soluções de dados, mídia e outras que envolvam todo o ecossistema digital de uma organização, farão toda a diferença no relacionamento entre pessoas e marcas.

Os sistemas mais modernos de WCM, tem a capacidade de entregar conteúdo tanto on-line quanto off-line, como exemplo, em totens dentro das lojas, nos POS (point of sales), provadores que contenham interação social e etc. De acordo com uma pesquisa recente encomendada pela Adobe, 79% dos CMO’s pretendem investir em soluções que permitam criar, gerenciar e distribuir adequadamente seus conteúdos.

Pessoas

Com esta enormidade de tecnologias emergentes, este importante elo da cadeia precisa receber a devida atenção. A profissão de cientista de dados se tornará uma das principais do mercado e com alta remuneração. Haverá 4,4 milhões de postos de trabalho a nível mundial em business analytics, mas apenas um terço desses empregos serão preenchidos. Com a crescente demanda por Big Data, as empresas terão de reavaliar as suas competências e habilidades para responder a esta oportunidade.

Redação Adnews

Deixe seu comentário: