Os jornais Valor Econômico e O Globo e as revistas Época Negócios e Marie Claire em parceria com a WILL – Women in Leadership in Latin America – realizam a segunda edição da pesquisa Mulheres na Liderança. Com apoio metodológico do Instituto Ipsos, o estudo visa a identificar as melhores práticas e políticas em prol da equidade de gênero e promoção de mulheres na liderança das principais empresas do país. Destinada a corporações de grande porte, as inscrições gratuitas podem ser feitas através do e-mail mulheresnalideranca@valor.com.br até o dia 15/02.

Empresas de diferentes ramos de atividade podem participar e um formulário com 43 questões serve de base para o resultado final do estudo, que será apresentado na forma de um ranking com a listagem das melhores empresas. Todas as informações prestadas serão absolutamente confidenciais. As corporações que se destacarem ainda serão tema de reportagens e publicações especiais nos jornais e revistas da editora, além de participarem de um evento de premiação programado para o primeiro semestre de 2019.

As questões apresentadas cobrem tanto a atuação interna quanto externa da corporação, abordando tópicos como a estrutura e a estratégia adotadas pela empresa em prol da equidade de gênero, processos de recrutamento e seleção, políticas de treinamento e estímulo à liderança feminina, equilíbrio entre trabalho e vida pessoal, políticas e processos de publicidade, relacionamento com stakeholders, entre outros. Uma parte de dados demográficos também compõe o estudo e é o momento onde a empresa pode informar a composição de gênero em seu quadro de colaboradores.

Após a conclusão do questionário, cada empresa será avaliada e receberá uma nota final calculada com base no tipo e na quantidade de políticas e processos seguidos em prol da equidade de gênero, considerando-se também a importância dessas práticas na visão de todas as corporações participantes.

Independente do desempenho na avaliação, todas as empresas vão receber, após a publicação do estudo final, um relatório das melhores práticas globais e setoriais, além de sua própria posição no ranking.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Especial Google

+ Ver mais

Quer falar com mulheres? Olhe para os dados, não para os estereótipos

por Artigo de Kate Stanford, diretora global de marketing e publicidade no Youtube

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald