O influenciador digital, empresário e DJ Mateus Verdelho é um dos grandes nomes do momento. O artista, que foi por muitos anos modelos de várias marcas, criou o Hollywoodog’z e a parte musical foi feita em parceria com o DJ Nedu Lopes. Aliando suas paixões por música e moda, transformou o projeto em uma marca de roupas também, que começou vendendo bonés, adesivos e camisetas durante as apresentações. Além disso, Verdelho tem o projeto MV, que é sua própria marca de roupa, que assina collabs com diversas marcas, como a Blanks Co. O influencer soube como aliar suas principais características e linká-las para empreender em seu próprio negócio.

Pensando sobre seu sucesso nas redes sociais e no mundo dos negócios, o Adnews entrou em contato com o artista para fomentar uma entrevista exclusiva a respeito da junção de música-marca e os diversos obstáculos percorridos nesta jornada. Atualmente com mais de 900 mil seguidores no Instagram, o artista explica de forma dinâmica sobre sua marca, parcerias e planejamentos. Confira abaixo na íntegra:

Mateus, nos conte um pouco sobre sua trajetória profissional. Quais foram os maiores desafios e vitórias dessa jornada?

Eu trabalhei durante muito tempo com modelo, então minha vivência no mundo da moda era grande e sempre me despertou interesse. Gostava de lançar tendências e costumava estar atento ao trabalho dos stylists. Daí comecei a pensar em criar uma marca minha, minhas próprias coleções. O start é sempre difícil, até porque eu só tinha ali o peso do meu nome como modelo e as experiências que tive no mercado da moda. Fui batalhando aos poucos. Cada conquista para mim é uma vitória. Hoje tenho as duas marcas, a MV e a Hollywoodog’z, além de várias collabs e parcerias com marcas conceituadas e que tem tudo a ver comigo.

Como funciona essa relação música e marca? A união funciona? 

Eu entrei para o cenário musical como DJ, fiz várias apresentações sozinho. Depois me juntei a alguns amigos e surgiu o grupo Família MV. Na sequência veio o Hollywoodog’z que é um projeto que envolve diversos ritmos, como: house, hip hop, trap, bass music, pop music, funk, eletronic, R&B, entre outros. O início da marca foi quando eu comecei a criar algumas peças para eu usar durante as apresentações. A galera curtiu e começou a pedir, então aumentei a produção para presentear as pessoas que eu gostava. Como eu sou muito ligado aos cenários de música e moda, pensei em unir as duas coisas. Sempre acompanhei as tendências mundiais, principalmente a dos Estados Unidos e notei que muitos músicos, sobretudo do rap, são muito ligados à moda também, com o contexto high fashion. A intenção com as minhas marcas era me referenciar nesse segmento de música e moda.  A ideia deu certo, foi crescendo e hoje temos nas coleções diversas peças, como: camisetas, jaquetas, moletons, bermudas, corta-vento, entre outras peças. Então, sim, a união funcionou bem pra gente. 

Sobre sua marca, como é feita a divulgação? Existe algum meio virtual ou físico com grande foco?

Atualmente eu uso muito minhas redes sociais para fazer a divulgação. Algumas outras pessoas também divulgam organicamente. Na minha última coleção, optamos por contratar uma modelo para fazer algo mais profissional, para passar uma visão mais séria de campanha, não usar só a minha imagem e as minhas redes sociais para isso. 

Sobre suas redes sociais, qual a forma de atingir e divulgar projetos/marcas para o seu público de forma assertiva? Quais ferramentas mais eficazes? (Ex: stories, posts na TL, etc.).

Eu busco sempre manter parcerias com marcas em que acredito e que tenham a ver com meu estilo de vida, etc. Então isso já atinge mais facilmente o meu público, que me acompanha ou por ser fã ou por ter um estilo parecido com o meu. Geralmente eu uso tanto feed do Instagram quanto os stories. Tudo depende do propósito da campanha e do retorno que a marca espera. Ambas funcionam bem.

Continuando o assunto das redes, você, como influencer, vê as redes sociais como um forte meio para divulgar projetos/marcas?

Sem dúvidas! Hoje a publicidade nos meios digitais é tão forte quanto nas mídias mais tradicionais, como na TV. Antigamente nos inspirávamos muito nas tendências lançadas nas novelas ou nos intervalos comerciais. Não que isso ainda não funcione, mas as marcas têm apostado cada vez mais nos influencers para ganhar destaque com o público. As pessoas veem que nós estamos usando uma determinada marca ou consumindo um produto específico e buscam ter as mesmas experiências que nós. Isso é muito legal!

Além da sua marca autoral, existe alguma parceria com outra empresa?

Sim, faço bastante parcerias. Inclusive, recentemente lancei dois drops com a Blanks Co. A Hollywoodog’z X Blanks Co, que é mais ousada, com uma paleta de cores vibrantes, estampas grandes e apostando na tendência de logomania, brincando com o yin e yang, que é o logotipo da marca. A coleção, que tem em sua essência a arte, música e street wear, é composta por camisetas, camisas, moletons canguru e careca, jaquetas corta-vento, hoodies, calças e bermudas de moletom, bermuda alfaiataria com tecido de nylon, bonés e boinas. Quis passar nessa collab que é uma coleção sem gênero, que podem ser usados tanto por homens quanto por mulheres.

Já o drop do MV X Blanks Co. aposta no minimalismo, com peças sobreas e funcionais.  A coleção apresenta peças tradicionais e cleans, com paleta em tons claros, preto, cinza e terrosos, com moletons, bonés, jaquetas corta-vento com corte tradicional, camisetas e polos no estilo casual, mantendo nos modelos o estilo despojado e fashion, mantendo minha identidade.

Também já fiz collab com outras marcas como: Oliv, Nephew, Skull, OtherCulture, DOD Alfaiataria, entre outras.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald