O marketing de influência – ou influence marketing –, já consolidado em mercados mais maduros como Europa e Estados Unidos, tem atraído cada vez mais a atenção das marcas no Brasil. Um exemplo recente desse tipo de esforço de marketing é o festival Coachella, que reuniu, durante dois finais de semana, música, arte, moda e diversas marcas querendo aparecer.

De olho nesta oportunidade, a CoCreators – agência full service de influence marketing – idealizou a Creators’ House Coachella: uma supercasa nos arredores do festival, que abrigou alguns dos principais influenciadores digitais do país, como Tata Estaniecki, Rachel Apollonio, Leo Picon e Giovanna Ferrarezi, e contou com ativações das marcas Tinder, Absolut, Supplex, JBL e Ray-Ban.

O projeto envolveu mais de 50 pessoas – direta ou indiretamente – e um investimento de mais de um milhão de reais. Para cada um dos patrocinadores, foi criada uma campanha de conteúdo multiplataforma, integrando tanto os perfis dos influenciadores quanto os das próprias marcas. “Os nossos influenciadores eram a voz e os olhos dos seus milhões de seguidores que gostariam de estar lá. Queríamos mostrar o festival sob pontos de vista únicos, por isso pensamos em storytellings diferentes para cada um dos patrocinadores”, afirma Adrianne Elias, CEO da CoCreators e idealizadora do projeto.

A primeira edição da Creators’ House gerou mais de mil conteúdos diferentes e teve um alcance potencial de 15 milhões de pessoas. Com a ambição de levar o marketing de influência aos principais festivais do mundo, a CoCreators  anunciou que a próxima edição do projeto deve acontecer no Rock in Rio 2017, em setembro. “O marketing de influência é isso: é ser espontâneo, verdadeiro e autêntico. Esses festivais são oportunidades exclusivas para as marcas inspirarem e se conectarem com o público jovem”, completa Adrianne.

PARA CADA MARCA, UMA ATIVAÇÃO

Apesar de estarem todas dentro da Creators’ House, cada marca contou com uma ativação personalizada e customizada para atingir seu público-alvo de maneira assertiva, mas também original. “Nós não fazemos publicidade tradicional, por isso é muito importante criar ações que tragam o posicionamento da marca e que conversem diretamente com o target, numa linguagem com a qual o público jovem consiga se identificar imediatamente”, afirma a CEO da CoCreators.

O Tinder – principal patrocinador do projeto – propôs diferentes desafios aos influencers, que deveriam conhecer pessoas usando o aplicativo e puderam convidar seus “matches” para a after party exclusiva na última noite na casa, que contou a participação do disputado DJ Gabriel Boni. Leo Picon foi o embaixador da marca no festival e também fez a cobertura do evento para as redes sociais do Tinder.

A Absolut, além das ativações globais no festival, teve as influencers Giovanna Ferrarezi e Gio Serrano como embaixadoras, foi a bebida oficial da casa – com um bar permanente – e ofereceu uma welcome party com drinks exclusivos.

Já a Supplex promoveu uma aula de yoga no primeiro dia de festival, para preparar corpo e mente do grupo para a maratona de shows. Além disso, a marca – para promover a tecnologia de seus tecidos – levou os influenciadores para um passeio no deserto da Califórnia.

Deixe seu Comentário

Leia Também

2014

+ Ver mais

Brasil terá 15 jurados em Cannes

por Redação Adnews

ADFestivals

+ Ver mais

El Ojo anuncia 4 novos presidentes de júri

por Redação Adnews

ADInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

AdMovies

+ Ver mais

O Mecanismo e O Negócio entram na luta pela audiência de séries

por Eliane Munhoz do Blog de Hollywood

ADScreen

+ Ver mais

Ciclo de regravação dos clássicos chega a SWAT

por Elaine Munhoz, do Blog de Hollywood

Ana Paula Passarelli

+ Ver mais

Como as (novas) mudanças no Youtube vão impactar os criadores de conteúdo?

por Ana Paula Passarelli, estrategista de negócios digitais e consultora de inovação

Antonio Carlos Moura

+ Ver mais

Mercado de comunicação: mais difícil e mais divertido

por Antonio Carlos Moura

Daguito Rodrigues

+ Ver mais

Para onde foi o sangue que havia nos olhos?

por Redação Adnews

Design Thinking

+ Ver mais

Reclamar! Vício, autopiedade ou um SOS?

por Marcelo Ponzoni, Diretor executivo da Rae,MP

Especial Google

+ Ver mais

Quer falar com mulheres? Olhe para os dados, não para os estereótipos

por Artigo de Kate Stanford, diretora global de marketing e publicidade no Youtube

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald

Fábio Prado Lima

+ Ver mais

Face priorizará posts de amigos e familiares. O que isso pode significar para quem é social media?

por Fábio Prado Lima, diretor da AdResults e professor do Face Ads Descomplicado

Fernanda Romano

+ Ver mais

Janelas

por Redação Adnews

Julio Moraes

+ Ver mais

Hey, mercado, vamos fazer o #MeaCulpa?

por Artigo por Julio Moraes, digital marketing executive na #SocialGroup

Leonardo Araujo

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Marcia Esteves

+ Ver mais

Por que eu não sou uma gênia?

por Marcia Esteves, co-presidente da Grey Brasil

Marcos Giovanella

+ Ver mais

A ciência por trás do Big Data

por Marcos Giovanella

Mauricio Magalhães

+ Ver mais

Sair da caixa é ficar dentro dela. Ufa!

por Mauricio Magalhães

Mentor Neto

+ Ver mais

Os Millennials em Promoção

por Por Mentor Neto, sócio e CCO da Bullet

Rafael Martins

+ Ver mais

Você tem certeza que “seu cliente não entende nada”?

por Rafael Martins, Co Fundador e CEO do Share

Raul Santahelena

+ Ver mais

Marcas, por que é tão difícil se colocar no lugar do outro?

por Artigo de Raul Santahelena

Renata Serafim

+ Ver mais

Brasil… Mostra a sua cara!

por Adnews

Silmo Bonomi

+ Ver mais

Publicidade de verdade

por Adnews